Há frutos a serem saboreados

(Extraído do blog zen budista O Pico da Montanha é Onde Estão os Meus Pés)

Ouvindo uma pessoa hoje, estávamos falando sobre a prática e ela me contou sobre a sensação do sofrimento, um sofrimento que havia no passado e que no momento não existe mais, mas o interessante é que as condições em si são as mesmas, a mesma vida, os mesmos problemas, as mesmas doenças, as mesmas pessoas.

Talvez na verdade eu possa adivinhar, que dado que o tempo passa , na realidade as condições são piores. No entanto surgiu tranquilidade e o sofrimento desapareceu, essa é uma coisa maravilhosa, porque mostra a capacidade da prática Budista de mudar a perspectiva com relação à vida.

Porque o sofrimento é construído, nós o construímos de acordo com as condições, mas a felicidade está disponível. A felicidade está plenamente disponível. Eis uma famosa história Zen:

Um homem que cai em um precipício estava sendo perseguido por um tigre. Ao cair, ele se agarra à um arbusto que havia na beira do precipício, olha para baixo e vê outro tigre. Percebe, então, dois ratos roendo a raiz do arbusto, um rato preto e outro branco. Ele observa que no arbusto existem umas frutas vermelhas. Então ele segura-se firmemente com uma das mãos, com a outra estende e pega uma das frutinhas e coloca na boca. “Que gostoso”, ele diz.

Alguém arrisca me dizer o que representam os ratos preto e branco?

O rato branco é o dia, o rato preto, a noite.
A cada momento, eles, dia e noite, roem a raiz de nossa vida. O arbusto irá se romper e nós vamos cair com ele, onde o tigre nos espera. O que nos resta fazer senão comer as frutas doces da vida? Existe a famosa pergunta, “qual o sentido de existir?”, “para que tudo isso?”, a resposta é: “Porque há frutos vermelhos doces para serem saboreados”.

(continua…)

Anúncios
Esse post foi publicado em Espiritualidade e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Há frutos a serem saboreados

  1. binhavidal disse:

    Muito bacana e tudo a ver com meu momento. Eu ando lendo muita coisa budista e procurando um centro para conhecer. Acho que domingo vou em um no Catete. Talvez assim eu consiga adquirir alguma disciplina para meditar! rs Li hoje algo que falava dessa mudança de perspectiva com relação à vida. Realmente tudo depende de nossa atitude mental. Eu sinto, muito intimamente, que preciso disso: mudar a perspectiva, praticar o desapego, viver com menos. Projeto de vida mesmo. Sim, há muitos frutos vermelhos doces para serem saboreados… mas se estivermos muito preocupados em cair do arbusto nem os veremos. Já passei por fases assim. Hoje tento fazer diferente e procuro saborear os frutos que a vida me dá a cada dia 🙂

    • cadulessa disse:

      Acho que não é só você, Debs, que precisa mudar a perspectiva mental e praticar o desapego. Todos nós precisamos disso, de uma maneira ou de outra, em maior ou menor grau. E esse “viver com menos” é fundamental também. Como você muito bem disse, é um projeto de vida, nesse mundo cada vez mais insano. Bjs!!!

  2. Pingback: Vivendo na mudança | Blog do cadulessa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s